Michael Jordan e Chicago Bulls alavancam onda de séries esportivas em plataformas streaming



A série documental “The Last Dance” (O Último Arremesso, na versão em português) já pode ser considerada um marco nas produções cinematográficas esportivas. O filme, que retrata a última temporada do Chicago Bulls de Michael Jordan, sob o comando do lendário treinador Phil Jackson, já foi assistido por quase 24 milhões de usuários da Netflix. O número já seria considerado expressivo, porém o resultado se torna ainda mais significativo pois ele foi atingido mesmo sem contar com os fãs norte-americanos, que acompanham os episódios inéditos através da ESPN, produtora da obra e parceira na distribuição dos capítulos. 


O canal esportivo também celebra a marca e já confirmou que o seriado alcançou mais de 5,5 milhões de telespectadores e já é o documentário de propriedade da Disney (dona da emissora) mais visto da história.  Até mesmo o astro Michael Jordan tem motivos para celebrar o sucesso de The Last Dance. Recentemente o jogador, que se aposentou das quadras em 2003, teve seu nome confirmado como o atleta que mais fatura ao longo dos anos. Ainda que sua principal fonte de renda seja o icônico tênis Nike Air Jordan, que lhe rende aproximadamente 130 milhões de dólares por ano, o jogador deve ampliar seus recebimentos esse ano por ter seu nome associado a obra de sucesso, aumentando assim, seus ganhos gerais. O último estudo apontava que o ex-jogador recebia algo em torno de 145 milhões de dólares por ano, apenas com licenciamentos.

De qualquer maneira, o sucesso do filme do Chicago Bulls animou o mercado, que passou a entender que o modelo é interessante por unir paixão dos torcedores com a grandeza do cinema. A Amazon e a HBO, outras gigantes do setor de streaming, já confirmaram que iniciarão novas produções neste formato e buscarão obras deste segmento para atender este público.

De acordo com o jornal espanhol Marca, o documentário sobre o piloto brasileiro Ayrton Senna é uma dessas obras que estão se aproveitando deste momento favorável. O filme finalmente chega ao mercado do país Ibérico após alguns anos, mesmo com os constantes pedidos dos apaixonados pela Fórmula 1.

Além da obra que retrata a vida do ídolo brasileiro, outros documentários esportivos também estão chamando a atenção dos cinéfilos espanhóis. Maradona, Zidane, Antoine Griezmann e Sergio Ramos são alguns dos nomes que ganharam a atenção do público, especialmente no período da pandemia. 

Não resta dúvida de que a quarentena tenha sido um fator preponderante para o crescimento deste mercado, já que além de obrigar as pessoas a permanecerem em casa, durante este período os eventos esportivos também foram cancelados. Mesmo assim os especialistas apontam que este tipo de atração se tornou tendência no mercado por completar o que os ídolos oferecem aos torcedores.

“Eles funcionam muito bem, o atleta não se expressa apenas na competição, há um conteúdo complementar em que ele é visto como uma família de produtos que expressam os seus valores ", revelou Ricardo Carbonero, Diretor de conteúdo da Amazon Prime Video.  De qualquer maneira, todos acabam ganhando com esta nova tendência. Os astros e entidades esportivas que passam a obter uma nova fonte de renda, os fãs que se aproximam ainda mais dos ídolos e os patrocinadores que ganham um novo canal de comunicação de grande potencial.

Vale lembrar que aqui em nossa academia, disponibilizamos uma vasta galeria de sugestão de filmes e séries esportivas. Basta se registrar gratuitamente para ter acesso a este conteúdo. Além disso, em nosso canal do Youtube sempre oferecemos dicas para quem curte seguir perto dos esportes, mesmo quando assiste uma boa obra cinematográfica.